Eu Matei o Meu Amor!

11.1.13





      

Foi naquela noite fria e chuvosa, na entrada de casa. Com apenas um golpe no coração, cruel e sem dó, matei o meu amor. Matei aquele que me causava prazer e dor. Senti-o a morrer. Ele sangrava, aquele pedaço vermelho perdia a cor na medida em que o sangue escorria... 
Foi frio, cauteloso, o vi decair-se lentamente e, um mar de sangue se formava. Tudo parecia girar. Pensei nos bons momentos que passamos juntos, nos grandes prazeres que ele me proporcionou, e não tardou, veio a imagem do dia em que ele me traiu, a rodar na minha cabeça. A senhora que passava às pressas com um saco plástico na cabeça para se abrigar da chuva, não pareceu se importar com o que vira. O corpo quase não respirava, tinha de encontrar um lugar para enterrá-lo, - Atrás da casa! - pensei. -Ninguém encontraria ali. - Mesmo fraca, cavei o mais profundo dos buracos e deitei-me nele. Sim, deitei-me. Pois, eu já estava quase morta. Apunhalei o meu próprio peito na esperança de matar todo amor que sinto por ti. Esperei a chuva misturada a areia, fechar aquela que se tornara a minha sepultura. Vi a morte levar a minha alma e não a socorri. Não consegui conviver com a tua rejeição que aos poucos me matava. Aquele sentimento foi capaz de me controlar e me cegar. Perdi a minha vida. Já não há volta. Aceitei a morte, fechei os olhos e fui tomada por uma escuridão sem fim. 
Hoje estou aqui, no jardim da tua casa, ao lado dos lírios que refrescam as tardes de calor. Se por acaso alguém perguntar por mim, apenas responda que aquela moça que acreditava no amor, morreu. Com ele.


Leia Também

8 Comentários

  1. Magnifico!!!!! Meu Deus, que bonito!!!

    ResponderEliminar
  2. Escreves muito bem. Bjo da tua seguidora e fã no 1



    Felícia

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. "Matei aquele que me causava prazer e dor. Senti ele a morrer(...)

    Não consegui conviver com a tua rejeição que aos poucos me matava.

    Se por acaso alguém perguntar por mim, apenas responda que aquela moça que acreditava no amor (e em ti) morreu.."

    'E MAIS-QUE-LINDO este texto Rosie.

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigado a todos. É bom receber os vossos comentários :)


    Um beijo

    ResponderEliminar
  6. Como é que uma estória tão curta pode ser tão envolvente?! Oh, já me esquecia, recebeu o toque da Rosie.
    Parabéns srta. Alves.

    P.S: a parte em que somos induzidos a acreditar que ela esfaqueou (digo isso baseando-me no objecto da imagem) o rapaz, mas na verdade era o seu coração/amor; foi genial!

    Ivan dos Santos.

    ResponderEliminar

Post's Populares

Gosta do Blog no Facebook

Flickr Images

~