Do Jeito Que Só Nós Fazemos...

19.6.12








  Depois do último texto, onde ela encontrou a marca de batom na minha camisa, é a segunda semana que acordamos sem nos falar e ela tomou rapidamente o café e foi directamente ao banho. Aquele rabo é exuberante e exagerado e consegue  fazer-me  ir a loucura apenas por mexer enquanto ela anda. Há dias que não fazemos nada e eu decidi ir atrás dela, observar o sabonete percorrer-lhe  todo o corpo. Parei, fiquei na porta. Olhei. Lindo rabo. -Pensei
 — Estás a procura de alguma coisa? – Olhou-me desconfiada e deixou a água  percorrer  todo o trajecto que deveria até fazer barulho ao cair no chão.
— Sabes que sim. – olhei-a com um olhar provocante e fui-me até ela. Eu estava apenas de boxer’s e não foi tão difícil p’ra os nossos corpos tocarem-se
Ela evitou empurrando-me para fora da banheira. –Seu estúpido! –Reclamou com aquele olhar inocente típico dela quando está chateada. – Sua linda.
Segurei-lhe os braços e entrei outra vez na banheira. Comecei com um beijo quente, intenso. Puxei o cabelo dela e comecei a sugar lentamente o pescoço, desci p’ra os seios , fiquei um bom tempo a beijá-los deixando algumas marcas de "chupão". Cheguei ao lugar tão merecido. Parei, admirei, toquei levemente com a língua. Ela já deveria estar a sentir alguma coisa com a água quente a correr-lhe  pelo corpo, mas nada que se compare ao que a minha língua poderia fazer. Levantei uma perna e comecei a sugá-la com uma certa força. Comecei a lamber os pontos estratégicos que já conheço de cor no corpo dela e levei –a ao extremo prazer.
Parei, esperei que ela fizesse o mesmo. Fez. Sugou-me como sempre, levou-me a loucura, arrancou-me  gemidos e quase me fez vir. Deitou-se no chão, chamou-me  com o dedo indicador e eu não aguentei: Pus uma coxa por cima e a outra por baixo e comecei a roçar os nossos corpos. Essa sensação sim é indescritível e perderia todo o encanto se eu tentasse explicar como é. Só sei que nos encaixamos perfeitamente
A Nossa ligação é tão estranha que ambos nos  viemos quase ao mesmo tempo, no mesmo momento da respiração. Ela gritou, arranhou-me, levantou-me, beijou, mordeu e apertou mostrando que o meu corpo é o que ela sempre desejou. E assim ficamos: deitados em baixo do chuveiro, nossos corpos aquecidos pelo suor, e os nossos corações a bater na mesma sintonia.
- Só para esclarecer, isso não significou nada, ainda estou chateada contigo.
-Só para esclarecer, adoro o teu rabo.

Leia Também

4 Comentários

  1. Assim rebentas me o coracao e a mente minha Rosie . Muito lindo , intenso , directo , adoro as tuas narrativas, por serem explicitas e objectivas , nao deixando fora e' CLARO a tua creatividade :)

    beijos .

    ResponderEliminar
  2. Estes teus textos são fantástiscos... És muito criativa e sabes bem o que os teus leitores gostam... Esse texto me fez viajar.

    ResponderEliminar
  3. Rosie, quando penso que já li de tudo um pouco tu consegues surpreender-me. Arrancas sensações diferentes em mim, o tempo todo, mais e mais. Sorri com a última parte. Ele adora o rabo dela. Lol

    ResponderEliminar
  4. Teus contos dispensam comentários, pois sei que todos terminam com reticências, porém não devo deixar virgulas porque sempre irei ter algo diferente e estoiras mais quentes.


    Só tenho mesmo a desejar-te tudo de bom e que continues sempre a nos surpreender.


    Beijinhos

    ResponderEliminar

Post's Populares

Gosta do Blog no Facebook

Flickr Images

~